quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Com muito carinho, agradeço as várias trocas que surgiram por aqui.
Alguns posts nunca vistos por ninguém, no entanto, outros apenas visualizados e outros comentados.
Cada qual com sua importância, seja apenas para mim, como pessoa ou seja com o outro, na troca. Obrigado!

Mas, as coisas mudam! Que bom que elas mudam. Ciclos são bons e com eles vem novos valores. Um jeito diferente de se pensar e criar. O mundo precisa de criação!
Estou hoje, migrando para o meu novo blog. Porém, não somente meu, mas junto com mais dois colaboradores que comigo buscam um modo. Que modo? Todos os possíveis, na medida em que conseguimos imaginar, queremos o COMPARTILHAR!

Todas as Letras por um Tom - Entre a proza, o corpo e a imagem.
http://todasasletrasporumtom.blogspot.com.br/

Sintam-se convidados de honra a visitar nosso Blog. Buscamos a ação criativa e sem o olhar do próximo nossa meta fracassa. Abração!


sexta-feira, 21 de junho de 2013

Hoje

Hoje é um daqueles dias que só preciso ficar com você,
deitado no peito, sem falar de protestos, sem falar de trabalho, um dia só para se falar de amor.

Só nós dois.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Que pena

Têm dias em que a alma pesa.
Há dias em que a única coisa que se espera é ter a leveza de uma pena e voar para bem longe. 

Sem a dor e sem a tristeza. Sem nenhuma pena.


sexta-feira, 15 de março de 2013

Professor de Dança

Amo o que faço.

Peço a vida força para fazer Dança de maneira incansável, da mesma maneira que aprendi com os meus mestres.
Na minha rigidez em ensinar estão valores de força, de busca pela superação e da construção do corpo. Valores que vão além de dançar, mas princípios que se estendem em outras áreas da vida.

Vejo meus alunos crescendo. Do mais novo ao mais velho. Vejo corpos diferentes. Vejo neles a sede em aprender.
Vejo transformação por meio a arte, e arte não é vida? Não é a mais pura expressão de uma mente, de um coração que vive? Pois bem, os vejo vivendo, evoluindo e me sinto grato por fazer parte disso!

Sou chato, sou perfeccionista, durão e grito. Sou artista, sou bailarino e professor de dança clássica.
Apaixonado por cada aluno.
Viciado em contagens de oito tempos, viciado em pensar exercícios e sequências boas e novas. Quero a cada dia ser melhor no que faço, não só por mim, mas por cada corpo que durante a minha caminhada vou encontrar.  Passagem que produz a troca, a soma e o compartilhar.

Amo o que faço. A cada dia amo mais.


domingo, 3 de março de 2013

No quarto a noite

Hoje o quarto está pequeno, a cama para nada mais serve e essa vontade de vida que já não cabe mais em mim. Preciso sair.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Pobreza de alma

O pior abandono é quando deixamos para trás a alma.
Essa quando se perde padece o corpo, a mente morre e coração vive a pedir por mais, até as migalhas ele come.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Proza e Melodia



"Quando a proza é boa vale encantá-la com melodia.
Quando amar é gostoso a quem cante noite e dia".


quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Fraseando


"E assim nós vamos compondo um pouquinho da vida: de letra em letra, de dia-a-dia".

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Livre

Ficava por horas de olhos fechados
Um colorido infinito, tudo ao alcance de suas mãos
Nunca quisera sair dali
Nunca quisera sair

Sabia que a liberdade começava em si. Por isso era livre.
Porque sabia.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

{ Ma[tem(po)]ática }

Levantou tarde como todos os outros dias. Ficou parado os exatos quarenta e cincos segundos sentado na cama a coçar a sua cabeça até decidir se levantar.
Foi até a pia do banheiro, trajeto rotineiro. Olhou no espelho e admirou como crescera sua barba de maneira tão rápida, como de fato tudo era rápido: o sono era rápido, o tempo para despertar era rápido, o ontem passou tão rápido... Ficou pensando com ele mesmo.
Tão veloz, o tempo vai passando e pouco se importa se estamos prontos ou não.

"-Tomara que eu esteja!" disse ele para si mesmo.

Ontem mesmo estava com seu quatorze ou quinze anos de idade, hoje está velho e mal se levanta para sair da cama.
Sem mais exatos quarenta e cinco segundos, sem mais ida a pia sozinho, hoje quase sem memória de quando vez a barba pela última vez.

Horas somadas em horas e subtraídas em tempo útil de vida. Matemática chata essa, deduziu um dia ele.


quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Diferença linda


Uma dose de absurdos inaceitáveis.
Um brinde ao feio, ao estranho e desprezível.
Aplausos para o discurso fajuto.
Bravos para o compasso incerto, o andamento desafinado e a dança fora da música.
Quero o nada perfeito, a não-regra, o não-correto.
Desejo aquela cor que ninguém mais quer.
Não ao comum a todos.
Sim para o diferente, na sua diferença serás lindo.




Postagem que dedico a Roberta Baêta, que por dançar fora da música cometeu suicídio em dezembro, discriminada em sua família por ser atéia.
Um desabafo sobre desejar o que as pessoas desprezam e julgam.
Vou continuar a aplaudir de pé o discurso taxado muitas vezes de fajuto, como se querer os direitos civis como o casamento gay, por exemplo, é besteira. E tantas outras maldades para com o diferente.

domingo, 30 de dezembro de 2012

A cada um que deixou aqui seu pensamento, um "oi" ou um desejo de bom começo de ano o meu carinho sincero e o sorriso largo por termos essa ponte entre as nossas vidas por meio aos Blogs.

FELIZ ANO NOVO!

Um super abraço.



“Estar bem e feliz é uma questão de escolha e não de sorte ou mero acaso. É estar perto das pessoas que amamos, que nos fazem bem e que nos querem bem. É saber evitar tudo aquilo que nos incomoda ou faz mal, não hesitando em usar o bom senso, a maturidade obtida com experiências passadas ou mesmo nossa sensibilidade para isso. É distanciar-se de falsidade, inveja e mentiras. Evitar sentimentos corrosivos como o rancor, a raiva e as mágoas, que nos tiram noites de sono e em nada afetam as pessoas responsáveis por causá-los. É valorizar as palavras verdadeiras e os sentimentos sinceros que a nós são destinados. E saber ignorar, de forma mais fina e elegante possível, aqueles que dizem as coisas da boca para fora ou cujas palavras e caráter nunca valeram um milésimo do tempo que você perdeu ao escutá-las.”

Friedrich Nietzsche.


quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

E o acaso por acaso existe? Ando a matutar.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Só encosta

Coloca tua cabeça sobre meu colo, descansa seu pescoço. Só encosta.
Te amparo, te seguro e nada falo. Só encosta.
Deixa as horas e o tempo corre, desliza enquanto pode. Só encosta.

Tô aqui.




segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Ando na interrogação. Na dúvida. Na não resposta, do nada concreto.

domingo, 23 de setembro de 2012

E se tornou tão frio que perdeu de vista aquilo que era. Atropelou-se com o peso de si mesmo. Desabou.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Fiquei amarrado em nó cego, no último pingo d'água. Fiquei nas pontas dos pés no precipício de mim mesmo.

domingo, 29 de julho de 2012

Por hoje só um pedido

Se hoje é possível fazer um pedido, certamente desejo uma folha em branco. Uma página de vida nova, o cheiro de uma tinta fresca e a confiança de dias bem bonitos para preenche-la com muitos sorrisos.

"Não importa o tempo que lhe é dado, tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado." [O Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel]



Uma canção para compartilhar com vocês hoje - http://migre.me/a5D3j

sábado, 19 de maio de 2012

Bocadinho de Tudo

Sempre fui um bocadinho de tudo.
Um montinho de sonhos e de risos.
Um tantinho de cores.
Sempre fui um bocadinho de tudo.
Um frasquinho de curiosidades.
Um restinho de muita saudade.

Sempre fui um bocadinho de tudo.
Um exagerado tagarela, um magricela, 
um menino bem frescurento.
Quanto nojinho!

Sempre fui. 

Ai céus! Não me deixe deixar de ser...
Um tantão de muitos bocadinhos.
Sabe, pedacinhos de quem realmente sou.

domingo, 8 de abril de 2012

Sou Carne

Sou costurado por linhas de fios de cabelo,
tecidos de pele e preenchido por um forro de carne. 
Sou criado pelo o que vivo e remendado com choro para cada queda que sofro.

Revivo toda vez que brinco em tempo real.
À primeira vista pareço só mais um brinquedo, 
logo te assusto quando respiro, 
quando a minha boca abre e grita.

Não sou pano. Sou carne.

domingo, 18 de março de 2012

É quando a noite acaba na insônia que a falta aperta a garganta. É um bocado de saudade é um tanto de sonho.

"Quando você é jovem, sua vida gira em torno da procura por diversão.
Aí você cresce e aprende a ser cautelosa. Pode quebrar um osso, ou o coração.
Você olha antes de saltar... Porque nem sempre a alguém em baixo para amparar sua queda.
Na vida, não há redes de segurança.
Quando a vida parou de ser divertida e se tornou assustadora?
Decidi que era hora de deixar o medo para trás e me divertir".

[Trecho retirado do seriado "Sex and the City"]

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Só Sinta

Hoje foi como outra hora, tão bom.
Não diga e nada escreva meu bem, apenas sinta. Sei que sente.

Só sinta, só sinta... e só.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Fica

Fique em mim,
eu te permito.
Sinta comigo o doce,
gostoso e amargo gosto do amor.

Fica.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Um brinde para cada sorriso bobo desse ano!
Eu, você e um cálculo incerto.

sábado, 19 de novembro de 2011

Não era errado sentir, errado era deixar todos aqueles fatos passarem em branco.

domingo, 16 de outubro de 2011

E quem já não se sentiu perdido em meio de campo, despido de arma alguma?

sábado, 1 de outubro de 2011

Tempo e Espaço

TEMPO e ESPAÇO.

Dois dos 4 Fatores do Movimento analisados por R. Laban.
Destaco esses dois fatores (tempo e espaço) pois os movimentos, aqui olhados não pelas movimentações físicas, mas sim de vida. Tempo e espaço do real cotidiano.
Esse atraso ou adiantamento que nos invade nos toma satisfação a toda hora, nos coloca na parede e nos joga na cara nossa idade, nossas escolhas e os resultados delas aparecem como que em um placar para nosso prazer e agonia.
O fato é que estamos em movimento a todo o momento, estamos fazendo nossa história a cada minuto e tecendo um conjunto de informações que tendem muitas vezes serem úteis ou certas vezes desnecessárias, a questão é que precisamos viver e experimentar, degustar dessas escolhas, transformações e novidades, mesmo que não sejam tão boas, ainda sim, saboreá-las.

Experimente meu amigo, sem medo do tempo e espaço que isso dure. Nunca é tarde e nunca é tão cedo, desde que se tenha bem vivido.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Conversas com as Promessas

Como passo sem ver tudo isso?
Que diabos estava pensando que deixei passar batida tantas coisas? Um fato. Sempre estiveram aqui, eu que as deixei ali, no canto mofando em algum lugar em mim, perdidas.
Olhei para elas, nos deparamos outra vez, era engraçado de como já não eramos tão familiares, eramos mais amigos, dormiamos e acordavamos juntos.
Foram elas que me deram o tapa no ombro aquele dia no ônibus quando eu estava com medo. Lembrei dessa cena, não quero esquecê-la outra vez.

Caramba! Mostrei a elas até onde havia chego, os últimos acontecimentos, as machucaduras e confusões da alma, alguns sonhos temerosos e outros por hora até que bonitos, nem sei se válidos, mas bonitos mesmo assim.

Vamos selecionar e visualizar juntos, me disseram elas. Falei, ok!

Vamos ver o que mais tem por aí, estamos vivos não é mesmo, juntos novamente. Senti o arrepio que gostava de ter diante a uma expectativa, conversei com as minhas Promessas, todos nós temos algumas, pensei nas minhas.

Algumas já morreram e não se tem o que fazer, nada de choros ou remorsos, viveram no tempo que eram para ser vividas, se permaneceram é porque são por hora importantes, mas gosto das mudanças, transformações, essa metamorfose da vida.

Sinto uma urgência de resgate, sinto a forte necessidade de permanecer em mim.

sábado, 13 de agosto de 2011

Fato

"O fato é que ainda existem coisas bonitas. Outro fato é que estou calmamente e outra hora desesperado atrás delas".

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Calçado Cansado

Já calcei o sapato bonito. Já coloquei no rosto meu melhor sorriso estampado.
Com tudo isso quase morri, mesmo assim, quase morri.
Tenho usado meu calçado cansado, tenho sorrido menos. Não posso ficar vestido assim, mas também não posso correr o risco de perambular por aquelas ruas, aquelas que não eram feitas de pedrinhas bonitas.

"... E são tantas marcas que já fazem parte do que eu sou agora, mas ainda sei me virar..."
(Herbert Vianna, in "Lanterna dos Afogados")

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Cretino extinto

Podemos chamá-lo de nada, de tudo ou de quase alguma coisa desde que ao menos o tenhamos tido, estado com ele, vivido por ele em alguns instantes de nossa própria vida. Passado pelo seu estado de não saber ser, não entender o sentir. É só viver para poder saber que nem sempre é um bom amigo, mas sempre estará ali. Cretino instinto esse nosso de querer amar.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Daquilo, sabe...

O que se deve fazer quando a música da caixinha bonita de música parou de tocar? Quebrou.
O que devemos fazer quando o sonho não é mais sonhado e lembrado após o nosso despertar? Noites mal dormidas.
Qual ingrediente que reúne a cura para a falta de gosto nas coisas? Estômago machucado.
O que você faz quando teme algo que se passa dentro de você, sem ordem, só vem com tudo te arrombando a porta e tomando sua paz? Intuição.
Como se faz para olhar sem lembrar, sem sentir? Choro insistente.
Me conte como sair, caminhar, chegar perto? Repulsa.
Onde se firmar, ficar mais forte? Alma cansada.

O "o que", o "qual" e o "como" de tudo isso eu não sei, só posso deixar. Deixar para ver o que dá, se dá e que de mim ainda existe nisso tudo.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Sonhando

Parti sem tirar meus pés daqui, saí de mim, plano astral da alma, da vontade de viver o que sonho, o concreto de planos, tudo bem longe daqui.
Retorno frustrante. A realidade consome demais a gente.

Voltei a dormir. Quem dera ser pra sempre.


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Tênue

Um ato. Um único ato para se ferir a alma de quem só te quer bem.
A linha tênue, risca leve. Apagada? Nem tanto.