domingo, 26 de abril de 2009

"Corra esse risco. Seja você mesmo".
Pássaro

Todos achavam lindo o canto daquele pássaro,
mal sabiam que por dentro ele chorava, gritava e chamava por mais um vôo.
Vôo que o levaria para outros lugares, mas as batidas de suas asas não o conseguiam levar, não para onde ele realmente gostaria de ficar.
tristes dias desse pássaro, semanas confusas e meses chatos!
Na procura de outros galhos e na busca de climas melhores o coitado não acha.
Ainda acredito em final feliz.
Ainda acredito que ele alcançará vôos mais altos!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Segredos

Continue assim quietinho
Tenha seus próprios segredos
Tenha sua própria vida
Não tenha medo de seus medos

Todos têm seus segredos
Todo mundo tem suas vergonhas
Aquelas coisas que não queremos que vejam
As nossas antigas lembranças

Os meus segredos não lhe conto
Meus segredos joguei ao vento
A minha vida é um ponto o qual o rumo eu desconheço

Não lhe contarei meus segredos...

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Partida

"Não pensarei mais em preocupações
Não falarei mais de mim
Subirei no meu barco

Partirei rumo ao sem fim".
"Apenas lembrarei dos sorrisos.
Coisas felizes que passei ao seu lado".

sábado, 11 de abril de 2009

Coisas nossas

Ata-me,
Mas ata-me de um modo que eu nunca mais escape
Sufoca-me
Mas me sufoque de tal maneira que nunca mais acorde
Abraça-me,
Quero um abraço bem forte
Me ame,
Não por obrigação, mas porque assim decidiu me amar
Fica comigo,
Não é uma imposição, é apenas um pedido
Faça-me feliz,
Prometo lhe fazer o mesmo

Tenho desejado estar com você
Coisas nossas...

terça-feira, 7 de abril de 2009

Quanto tempo


Pensando tanto em você
Desejando tanto te ter

Quanto medo...

Queria tanto te ver
Podia até mesmo escrever

Mas quanto medo...

Medo do compromisso, medo do futuro, medo de tudo
Medo de ser duas vidas, medo de entrar e não ter saídas

Vontade de estar contigo
Vontade de ser sozinho
Vontade de morrer

Pensando tanto em você
Desejando tanto te ter

Quanto tempo...

quinta-feira, 2 de abril de 2009


Caminhos andados

Era tarde, estava frio
Já não se ouvia mais nenhum barulho
Tudo era vazio e lento ao redor de mim
Monótono, parado

Nem as palavras e letras mudam e nem se quer me ajudam
Parece nunca mudar

A pintura na tela me fiz desejar ali habitar
O sentimento de fuga, tanto quanto desesperador me levou para longe
Mais longe que eu pude chegar

Parece tão poucos aos seus olhos
Mais muito para mim
Se apresenta como tão inútil
Mas tem o seu valor dentro de mim

Ninguém entende, ninguém vê
Nem eu posso e nem você
Esquecer? Deixar para trás? Parar no tempo?
Nada disso poderia alterar

Caminhos são assim, precisam ser trilhados
Não escolhi as pessoas que andaram do meu lado
Nem os caminhos andadosPois de qualquer forma, era preciso passar ali
Lentidão

Lendo, manso
Quase que parado,

Concentração me falta, escapa...


Lento, manso
Quase que parado,

Não consigo pensar em nada...


Lento, manso
Quase que parado,

Parece que o dia não acaba,
A tarde é fria e esse sono que não passa...