terça-feira, 27 de outubro de 2009

Penso em nada

Pensei no que escrever, sinceramente não sei.
A frase engasgada anda de mãos dadas com o sorriso que já fugiu do meu rosto.
O frio da cidade, o céu escuro e nublado já não me refletem mais nenhuma cor.
Corri para a rua. Olhei para todos os lados em busca de uma direção para fugir. Nem esquerda e nem direita, sem placas para seguir.
Volto para a casa de cômodos vazios, tão cheios de nada que se comparam com o que sinto por dentro de mim.
Me calo, me fecho e não penso em nada.
Não vejo o relógio, as horas aqui não existem, não são lentas e nem são rápidas.
Um dia após o outro, ele chega e nem percebo, logo acaba e se foi embora.

Me calo, me fecho e não penso em nada.
Apenas fecho os olhos e lembro daquela música que não mais toca.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Às vezes pareço engolir o mundo.
Em momentos pareço vomitá-lo.
O sabor da hipocrisia em meio a vozes de homens obstinados por suas "verdades", secam-lhe os ossos, rasgam suas vestes e gritam.
Para mim só me é mentiras, mas o ainda respeito para que as minhas verdades não sejam julgadas, defeituosas ou erradas.

Apenas pense, acredite e viva.
Apenas respeite e não me encha os ouvidos.
E que Deus abençoe todo ser que respire.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Sabor para meu paladar

O gosto percebido ao paladar, o sabor que já não mais sabia... Degustei.

A minha pele aquecida, o arrepio que me cobria quando por suas mãos, teu toque a acariciar o rosto meu.

A mordida em meio a tantos beijos, meu almoço, meus desejos, meu prato, minha comida.
Sua presença, o alimento, o sustento para o resto dos meus dias.

Me afogo em tantos copos, me embebedo de sua saliva em meio a fortes mordidas entre meus lábios e os seus. Mata a minha sede, reaviva quem sou eu.

Me enrolo, me estico e me jogo e com fervor me enrosco só nos braços do meu bem.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Nessa cidade a primavera que só chove.

domingo, 11 de outubro de 2009

Insegurança não segura, não suporta, não é base.
A força me surge, escapa e logo volta.
As palavras serão ditas, ouvidas e expostas.
Os sentimentos afloram, a raiva aparece e não sei quando vai embora.
Tomara Deus que o amor não seja lançado fora.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Dois Gestos para um Só Corpo

O desejo de duas almas que anelam pelo corpo de uma única donzela que carrega com ela o perfume que embriaga, invade e engana o coração de um homem tolo.
Inicia-se então um jogo, uma briga, uma disputa de dois braços que com sede avançam sobre a taça que leva veneno e doce gosto.
Dois gestos, dois homens. Um Só Corpo, uma só dama.
A busca de um amor, uma bebida com sabor de drama.


*Texto criado por mim para a criação do meu trabalho coreográfico. Trata-se de dois homens que disputam pelo corpo de uma mulher. Sentimentos de desejo, engano e decepções são embalados pela canção "La Despedida" - Shakira.
Realizado no dia 5 de Outubro de 2009 na Faculdade de Artes do Paraná.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Incansável

Incansavelmente eu andarei descalço nas pedras sobre as ruas.
Incansavelmente eu correrei por todos os caminhos sem medo, sem rumo.
Incansavelmente ficarei parado sobre o céu estrelado que vejo acima da minha cabeça.
Incansavelmente eu pularei como que uma criança levada pela ingenuidade da vida, sem horas, sem regras, sem mentiras.
Incansavelmente falarei o que quero, o que acho, o que penso.
Incansavelmente ficarei quieto, sentado, calado, pensando.
Incansavelmente darei risadas, deixarei minhas lágrimas caírem sobre meu rosto.
Incansavelmente serei mais eu, serei o que sou e não saberei ser eu.
Incansavelmente vou ser assim sem nome, sem cor, sem sobrenome.

Todavia serei um incansável apaixonado por esse ser que carrego em meu peito.