quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Novos Hábitos

Te percebi na minha rotina hoje.
Teus vícios,
teus jeitos já são
traduzidos em mim.

"-Mais café por favor".

domingo, 26 de dezembro de 2010


Dentro dela só restou o bafo da boca dele. Noite insana, pele mordida,
só eles.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Naturalidade

Não se pode pedir perdão por ter os olhos da cor dos seus, por ter os cabelos que tem ou até mesmo pedir desculpas pela a cor da sua pele. Se colocando como ruim por escolhas que não competiam a você decidir.
A vida é assim, você nasce e vive conforme tem que ser. Na naturalidade.


sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Gravides de Macho

O sexo masculino só engravida de sonhos. Fode pensamentos em sua mente e goza. Logo se vê "gravido" de uma gestação que nunca termina. Embora venha a sua cria e com ela a glória do alcance desejado sempre a mais espermas que correm rumo a realização de ter vida, de se tornar realidade.
Sua cabeça nunca para de funcionar. Essa só pára quando morre.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Incansável chuva sobre meu cansado telhado.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Surpresas


Um ato para mudar um dia
Um instinto para surpreender
Um único momento para se lembrar por toda a vida
Surpresas.
Já não se fazia outra coisa a não ser sorrir...

sábado, 4 de dezembro de 2010

Você é sempre o primeiro abraço.
Que bom, você existe.

sábado, 13 de novembro de 2010

Viagem

Aqui. Saudades de quem tá lá.
Sem choro, eu volto.

domingo, 7 de novembro de 2010

Coerência

Se algum dia fui desse mundo hoje sei com toda certeza que não sou mais.
Me desliguei de algo que algum dia acreditei ser verdade para viver o que hoje entendo e sinto ser coerente a mim mesmo.

Me joguei do último andar, não morri. Acordei, levantei e fui existir.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Atitudes

Quem sou quando acho que não sou? Preciso aprender,
me domar a sempre ser.
Atitudes.

Insuficiência

Queria descrever você, não consigo.
Insuficiência de palavras no excesso que sou amado.
Tão bom.

sábado, 2 de outubro de 2010

Não posso morrer agora. Não agora.

Insônia

na ausência do rádio no quarto
da casa vazia
do teu corpo ao meu lado
fiquei acordado pensando
Insônia.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Hamartia - Pesquisa Coreográfica.

“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro”.
Clarice Lispector.

“E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela”.
Livro de João 8:7.

Nossa cultura nos ensinou desde cedo que somos pecadores, errantes e de natureza perversa, somente o perdão divino e uma reciclagem do ser poderia nos salvar e tornar-nos pessoas melhores.
Porém, nossa cultura não nos levou a valorizar quem realmente somos, nada mostrou que o bem e o mal habitam em cada um de nós e que isso se faz necessário. Necessário para nossa defesa em meio há dias onde ser rei não é solução é problema. Não somos nem podres e nem divinos, nem santos e nem impuros, todos nós comemos diariamente do fruto que nos alimenta e cultivamos prazeres e desgostos que só dependem da fruta que decidimos pôr em nossa boca.
Somos um bando de famigerados querendo comer a liberdade a fim de encontrar algo que nos faça sermos simplesmente nós mesmos.
A ¹hamartia do homem sempre foi vista para sua desgraça e desvalorização do seu ser. Mas o erro na vida se faz necessário, alimenta a alma e ensina. Somente o errante é quem pode dizer se errou. O seu pecado pode não ser pecado para o outro, as suas dores e prazeres são experiências pessoais, não se pode julgar a ninguém, o pecado não existe somos nós quem o inventamos.

______________
1.
Hamartia é uma palavra grega que significa erro ou pecado. Usualmente concebido inevitavelmente como natureza maligna, assim como da relação desta com o homem.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Pequenos Detalhes

Quando a vida passar ser vista e feita de detalhes.

sábado, 11 de setembro de 2010

Silêncio

Tanto se tinha para colocar no verso, na prosa e em fala que capotei nas centenas de coisas que achei em mim, acompanhada de uma garganta serrada de silêncio que nunca fala o que quer e o que sente. Não se deve, ao menos não agora.

(silêncio).

terça-feira, 7 de setembro de 2010

De saco CHEIO


Vivo na casa da mãe Joana, ando cansado disso!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Santo de Casa

Como já diz o antigo ditado:
"Santo de casa nunca faz milagre".
Fiquemos sentados então, à espera do santo esperado.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Pensamento

Vivemos dentro de uma caixa muito pequena.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Saliva

Beber da água que sacia
a sede de
quem só molha
a garganta a base
do beijo,
tua saliva.
Teu jeito.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Falando do que amo. . . [2]

Manhã de sol ao vapor do inverno, uma coca-cola gelada e a saudade em abraçar. De dar aquele cheiro.

Ao léu

Resolvi deixar ao léu o que já não mais considero como meu. Pouco me importa as cores da parede, em tudo o que vejo, a única coisa que não vejo sou eu nesse lugar.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Falando do que amo. . . (1)

Descobri que sou agarrado demais a vida,
só por isso escrevo e falo tanto dela.

Ciclo

Tirei qualquer entulho que sobrecarregue de modo desnecessário a minha mala, aliás, a nossa mala que no real a chamamos de nossa vida (sim, no singular porque somos um).
Estamos a beira de fechar um ciclo, estamos a beira da intensidade maior (sim, eu acredito nisso!).

sábado, 31 de julho de 2010

Desabafo da Rosa

Falei sozinha em alto e bom tom, pois sabia que seus ouvidos estavam grudados do outro lado da porta. Devia me perguntar as coisas, tenho cansado de me fazer entender se fazendo de louca a tagarelar pela casa vazia.
Vire homem e me encare de frente! Arromba essa porta e me arranca um beijo, estou louca para que me tire a roupa e me aperte com desejo. As malas já prontas de baixo da cama há muito tempo, esperando o dia de nossa fuga, de cair por esse mundo sem rumo e sem jeito.
Gritei, cansei e me fiz direta, se não lhe basto calarei a voz e não pensarei em nada, só não permito que se vá sem dizer uma única palavra.
Te enfrento e te digo, não canso e repito: Vire homem e me encare de frente!

(fragmentos)

Vontade

Tenho esmagado o relógio e mordido os lábios de pura ansiedade. Os minutos passaram a zombam de mim se fazendo lento a cada segundo, os dias se revoltaram se erguendo como muralhas cuja as minhas mãos e pés não ultrapassam.
Se as conspirações para quem tem sonhos soubessem que vida já se faz palpável em minhas mãos, já tem o gostoso perfume em minhas narinas e já é fato concreto na minha mente mesmo sem ver o outro lado do muro, o lado que por enquanto não visualizo em olhos da minha carne.
Essa capacidade para se ver além de qualquer empecilho se chama ser dois, isso é o coração de quem bate ao sopro de vontades.
Vontade de ter, de ser e viver na doce companhia de quem se ama.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

"Fraseando"

"Pra todo mal existe a sua cura, para tudo se tem remédio".

"Pra meio sorriso o alívio de quem mesmo que pouco ainda mostra os dentes".

"Minha fome só é saciada quando em mim você mata a sua".

terça-feira, 27 de julho de 2010

Preguiça


Tanta coisa para se fazer e a danada da Coragem saiu e não disse que horas volta, vou ficar deitado esperando que ela chegue. Sincero e descarado desejo eu que demore.


quinta-feira, 22 de julho de 2010

Silêncio

A minha alma só quer o silêncio. Falar tudo mesmo quando da minha voz não se ouve nada.
Mas mesmo assim continuar vivo e pensando, menos agitado.
Tudo o que eu quero é ausência do todo para que do aparente nada eu me encha do tudo. Só uns minutos, talvez algumas horas e depois não peço mais nada.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

"Me joguei do último andar".

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Olhe para seu Rabo

O erro do espião foi achar que seus segredos não teriam sido desvendados pelo seu perseguido. Os passos que o espião (curioso demais na vida alheia) tentava seguir formou uma rota para seu próprio rabo.
O mundo é pequeno demais espião. Não se esqueça disso.


terça-feira, 13 de julho de 2010

Nem Inferno e nem Céu

O que ele queria?
Ele queria o sorriso largo ao se olhar no espelho e ver ele por ele mesmo sem qualquer falsidade.
Do que o condenaram?
Pecador, isso sem ao menos ser.
O que era pecado para ele?
Pecado para ele era abster-se da vida, separá-lo dele mesmo com um ato de ignorar a si mesmo e tudo o que nele continha.
O que ele tinha para contar, quem era ele?
Tinha muitas histórias, fazia-se e desfazia-se com o tempo. Difícil era definir esse cara.
Por onde andava ele?
Perdido resolveu ser e nesse ato encontrou o seu caminho.
E tem nome?
Qualquer nome que quiser dar a ele. Hoje eu o chamo de Ousado.
Ousado?
Assim quero ser também. Acabar com a penitência de sermos simplesmente quem somos. Não acredito mais em santos e impuros.
Nem bom nem ruim, nem inferno e nem céu.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Distância

Seus passos a levavam para longe do solo meu, a distância apertava o peito, machucava a alma que por aquela figura levava tanto apreceio. Viver distância não presta, não há pingo de alegria só resta a sombra desse pobre homem, condenado a viver sozinho.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Pensamento

Joguei pedras de olhos bem abertos para machucar somente quem se deve.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Sensação na Frase

Senti. Respirei. Na frase escrita ficou assim:


"A favor de mim mesmo resolvi mudar".
"Fechar uma porta não requer ficar trancado, requer abrir outra".

terça-feira, 22 de junho de 2010

Passado, presente, futuro

O puxão para viver o presente, o sorriso de quem viveu passado e a mente solta para quem anda pensando no futuro.

domingo, 20 de junho de 2010

Exercício Diário

Tenho tentado aprender o poder de inovar. A criar ações e atos a todo instante.
Buscando enxergar a novidade escondida no costumeiro diálogo ao olhar nos olhos de quem se ama e ver ali a extensão de tudo que não se conhece e só por intermédio deste possuir a capacidade de se descobrir qualquer outra coisa nova, a andar sobre lugares que meus pés limitados não alcançam em plano físico e de um salto a me jogar sobre um mundo cujo nenhum outro olho viu.

O novo no velho de uma vida a dois só se faz para aqueles que amam. Eis um exercício diário.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Meu canto



Tenho andado por terras que não são mais minhas.
Sujeito eu sou a desejo do meu canto. Lugar nosso ao desenrolar de tantos planos.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Cappuccino

Você lá.
Eu aqui.
Distante por um instante, só um cappuccino para unir nós dois.
Dia frio, mesmo assim te espero.

(Ao som de "Dona Cila", Maria Gadú).

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Pensemos todos

Quando na vida MAIS é MENOS e MENOS é MAIS?
Quando do POUCO se acha o MUITO e do MUITO percebemos que só a POUCO?
Quando do NADA encontra-se o TUDO e de TUDO não se encontra NADA?

EXCESSO ou ESCASSEZ?
Pergunto-me e lhe pergunto. Fiquemos a pensar todos...

sábado, 22 de maio de 2010

Falei de mim

Às vezes me sinto forte, destruidor, capaz de derrubar aos montes qualquer coisa. Horas já estou fraco, incapaz, sem fôlego para soprar uma pena.
Essa bipolaridade de quem sou, esse eu de cabeça cheia que abandono ao relento várias noites a ficar pensando em mim mesmo, a quem sou e atinjo em meio a tanta gente. Visualizando o que não vejo em olhos de carne, me indagando onde estou nesse exato momento e tentando ter certeza se sou a soma de dias que se passaram ou só o resultado do que hoje estou vivendo.
Me definir já se tornou algo difícil, esquecer disso é que estou querendo, mas não como aquele que vive um dia após o outro, mas um ator que assume papéis e formas diferentes para sobreviver em tempos onde fugir não é solução e ficar também não se resolve nada mesmo.
Me inspirando em figuras, histórias e sentimentos que me fazem ser eu preenchendo o inconstante que sou.
Perdi a noite, tirei teu sono, mas sentei e falei de mim.

Pactualidade

Muita vida já vivemos, muitas coisas para contar. Ou não, ainda lembraremos dos nossos segredos, a pactualidade de quem viveu amor.

Marcado

Marcado em pedra me tornando vivo
Tatuado na pele, no teu sangue
Escrito em papéis que nunca se rasgam
Letras em tinta que nunca se apagam

Fixado em tua memória
Preso, amarrado, como que selado em seus pensamentos
Eternamente o alvo dos teus olhos
Para toda vida perdido com você através do tempo

Quando entrei em sua vida, marquei a ferro a tua história
Só assim fiquei, só assim serás todo meu e só assim pra ti eu serei

Seremos dois além dos séculos

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Cheiro no cangote arrepio no joelho. Sinais teus no corpo.

Se não Fosse

Se fosse fácil talvez eu nem tentasse.
Se fosse impossível me daria gana por conquistar.
Se fosse tarde demais tentaria um novo começo.
Se fosse loucura me jogaria sem pudor algum.
Se fosse chato e monótono procuraria algo melhor para me ocupar.
Se fosse parado, ao som de uma bela música me colocaria a dançar.
Se fosse a morte voltaria encarnado.

Mas se não fosse você eu não saberia.
Não saberia improvisar meus atos diante ao difícil, a rir e de empolgante alegria marejar meus olhos, não saberia de nada.

Se fosse sempre assim, você ao meu lado teria eu o amor como achado.



terça-feira, 11 de maio de 2010

Talvez eu esteja cheio demais.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Papéis ao Lixo

Agora sim,
---
Joguei tantos papéis fora,
um ato de me
livrar do que é passado.
---
Desprendimento. Acabar
com vestígios daquilo que
um dia chamei de vida.
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ ¬¬'

Eu com eu mesmo. Podre e Divino.

Andei abrindo aquelas portas emperradas que só abrem a base da pancada e com agressividade me coloquei entre a parede. Era hora de cuspir a verdade, um confronto entre eu e o eu mesmo.

Falei-me besteiras achando meios de enganar o tolo que não é tão tolo do meu próprio eu. Fingindo para mim mesmo só um disfarce para matar o tempo.

Então gritei e espofetiei minha cara, golpes dados em meu próprio corpo, tentando arrancar de mim uma frase, uma resposta que só seria dada por mim para meu eu.

Constrangido diante do meu rosto no reflexo do espelho me coloquei em silêncio. Me vi tão nobre e tão pobre como qualquer um.

Ser de carne osso e um gênio do cão. Não cheguei muito longe, talvés não cheguei há lugar algum, mas me encarei de frente e tenho gostado do vejo.

Eu, podre e divino. Um santo de casa tentando fazer milagre para sobreviver todos os dias.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Quietude

O silêncio que me faltava e secava os ossos molhou-me. Banhado em águas de quietude e um bom sofá para dormir.
Quietude em meio a falas sem cessar, meus ouvidos não suportavam mais barulho.

Enfim, voltei a pensar.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Sentidos

E por você me tornei feliz.
Assim dizendo encontrei o meu caminho, vivendo como se fossemos um.

Aquele ato que mudou meu dia. Sentidos.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Pensamento a Arte


"A arte não me tira do mundo no qual eu vivo, mas ela me remete a lugares meus, me faz pisar no chão de caminhos internos, me faz viajar para mim mesmo. Me faz ser completo".

Incansável cansado

Acordei buscando as últimas fibras de força do meu corpo. Não desistir em meio ao percurso largando mão de sonhos que ainda não alcancei. Tenho focado com olhos marejados meus planos, tenho só lembrado do que muito vale a pena.

Incansável cansado.

quarta-feira, 7 de abril de 2010


Saudade de você agora...
Larguei mão da minha arrogância, abaixei a cabeça e tenho engolido aos trancos e barrancos os olhares de desdém.

Leite Derramado

Senti a dor do adeus e a tristeza de um oi que nunca dei. Oportunidades que são únicas e a minha burrice em não perceber.
Tenho chorado sobre o leite derramado. Tenho ruído as unhas que já não tenho e poupado de sono os meus olhos cansados e vermelhos.
- Só mais um momento! Suplicou minha alma. Só ouvi o silêncio que me soava em resposta um não decidido.
Parei então para observar mais ao meu redor, a me jogar sem incredulidade e a degustar com mais intensidade as oportunidades de felicidades que só o tempo é quem sabe quando a mim virão.

terça-feira, 30 de março de 2010

Me dei ao luxo de sentir, respirar e pensar em mim.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Café com Leite

Me vi descalço e sem roupa, em um mundo onde ser rei não é solução, é problema. Ultimamente tenho preferido passar em branco, tipo aquela brincadeira de criança, hoje sou "café com leite" amanhã quem sabe sou o caçador.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Intensidade

"Quando meses se tornam um dia,
quando os dias se tornam anos. Intensidade".

terça-feira, 16 de março de 2010

Minha Fuga

Demora e quando chega logo se vai embora, tenho brigado com o tempo,
essa rotina rotineira maldita que não muda. Preciso me reduzir ao silêncio.
Preciso dos teus braços, minha fuga.

domingo, 14 de março de 2010

Seletivo

Já engoli sujeira e sabor de podridão para fingir, um ator em vida real.
Já rasguei em plenas feridas minha garganta por engolir mentiras.
Já abri a boca com cheiro de podridão por ter o estômago cheio de vazio.
Mastiguei tudo o que meus dentes fracos não podiam mastigar.
Enfraqueci do tempo que não conseguia suportar.
Larguei mão da dieta da hipocrisia e coloquei na boca o sabor de quem sou. Só mastigo o que gosto e só engulo a verdade que me caia bem, vomitei pessoas e lembranças, todo mal que isso me fez.
Sou eu agora no tempo presente. Passei a ser seletivo, já não ligo pra ninguém.

sábado, 6 de março de 2010

Outono

Respirei Outono,
ar gelado em meu rosto.
Sol escondido em nuvens cinzentas,
caminhos de grama molhada.
Estação charmosa,
folhas secas a enfeitar o quintal.
Sensação de paz e sossego,
enfim...
Respirei Outono

Busca Interna

Chorei e consegui lembrar quem sou, por onde anda os diversos sentimentos meus,
contínua busca em mim mesmo, mar profundo eu sou.

Paraíso sem Pudor

E nada mais ele temia, nada mais lhe era pesadelos durante longos dias.
Hoje lhe é dado o gozo de viver amor, a oportunidade única, o ato de caminhar tranquilo, deixando para trás suas feridas, marca profunda de antiga dor. Para ele é como se nunca existisse, para ele é folha branca, tinta fresca e milhares de linhas a serem escritas, por onde lhe é permitido o tempo de ser autor, escrevendo um livro onde a estória se passa em terra firme, caminhos longínquos e lindas flores.
Hoje ele abraçou com força e sorrisos a vivência de ser ele mesmo no paraíso sem pudor.


"Não é vergonhoso ao homem sucumbir à dor, mas sim sucumbir ao prazer". (Blaise Pascal)

"O pudor envergonhado é companheiro do medo". (Grynaeus)

"Eu não me envergonho de corrigir meus erros e mudar minhas opiniões porque não me envergonho de racionar e aprender". (Alexandre Herculano)

quarta-feira, 3 de março de 2010

Pensei para Aplicar

"Que não seja a dor um sinal de fraqueza,
seja ela um agente de crescimento pessoal".

"Sempre estamos caminhando para avançar,
sempre estamos a procura de mais".

domingo, 28 de fevereiro de 2010

"E longe em meio a tantos pensamentos fiquei".

Assim tão...

Uma vida já não é mais o suficiente para mim,
eu que ao seu lado aprendi viver.
Assim tão simples, assim tão vivo,
assim tão... eu para você quero ser.

Sorriso largo

Fui lançado a sorte da existência, como que jogado sobre um destino incerto no qual eu próprio sou senhor. Sou um rei, o dono de uma terra sem nome, cujo o habitante é um homem sonhador.
Crio minhas leis, costumes e minha reza, oração que clama por meu nome, eu que corro com minhas próprias pernas e o suor da minha testa é respingo de um cabra sofredor.
Entre as guerras que passei estabeleci o arrego de meu sossego.
Benza a Deus que dias me acrescentem a me dar graça de poucas dores e alegrias até por demais.
Benza meu Pai, que a vida me dê de presente sorriso largo para sempre dar.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010


"Como é boa a sensação de partida".

Uma Nova Dança

Joguei as cartas, marcas e me desfiz de mim mesmo.
Lancei ao nada tudo o que era, tudo o que fui e o que imaginava ser.
Encarei as mentiras, confrontei o meu próprio eu com raiva, lágrimas e batendo em minha própria cara.
Machucando-me por dentro nas noites em claro de porta trancada, sozinho e calado.
Fechando-me para mim mesmo, abafado e frustrado com os planos que nunca vingaram, sementes que plantei em solos de sonhos.

Tão agora acordei, levantei o pó da mente e do passado. Mudei.
Abri a janela que trazia com ela os raios de um tempo ensolarado que penetrando a minha pele mofada de fracassos pude degustar o calor de um novo momento.
Respirei com força, dei um salto, um grito alto, milhares de expressões.
Escutei a música que antes não ouvia de modo inevitável me deixei levar, meus pés mexiam, meus braços se moviam então comecei a dançar.

Dancei uma nova dança ao som da melodia interna. Uma partitura formada pela maravilha de viver o momento presente em corpo, alma e mente.
Sou um homem que ressurgiu das cinzas. Sou quem preciso ser.


"Talvés o passado seja uma âncora nos prendendo.
Talvés precisamos abandonar a pessoa que fomos para nos
tornarmos as pessoas que seremos".

(Sex and the City)

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Saudade, viagem e nós

Parti, mas não deixei-te só,
carreguei comigo teus pedaços em laços com o perfume de seu corpo.
Coloquei na mala a saudade de quem deixou um amor,
agora coração pequeno e apertado do beijo que hoje não lhe dou.

Senti a falta de uma tarde, um dia, uma viagem só para nós dois.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Mania de padronizarem o que é ser feliz.
A minha felicidade eu invento, eu crio ela. Faço valer a pena.

domingo, 31 de janeiro de 2010

Impaciência

Comi em um prato vazio sonhos que ainda não os tenho
Mastiguei com sabor o céu da boca sem nada no presente
Enchi a minha pança com projetos futuros e lá se foi meu sono com ela
Tenho almoçado e jantado a vida que teremos juntos
Tenho gritado calado esperando pelo tempo certo

Impaciência.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Do meu jeito

Não vou procurar saber.
Não vou procurar ser o que não sei ser.
Não vou insistir no que não acredito dar certo.
Não vou amarrar meus punhos quando o que quero é correr de braços abertos.
Não vou me abafar diante de situação alguma.
Não vou assim, não vou arrumado e não vou colocar sapatos apertados.
Não vou parar e não vou correr, vou no meu tempo, no meu horário sem compromisso marcado.
Não vou por nada, não irei por coisa alguma.
Não vou de rumo certo, só vou e sigo as estradas que quero.
Levo a vida do meu jeito, do meu gosto e na cor que eu quiser dar a ela.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Desabafo de quem Escreve

"Escrever quando se tem necessidade, quando se tem algo a dizer ou quando se sente vontade.
Escrever sobre o que se vive e sobre o que nunca se fez na vida.
Falar das coisas que se ama, que são belas e até mesmo sobre o que é feio e se despreza.
Colocar em versos rimados ou sem nenhuma rima uma frase ou apenas uma linha sem nenhum compromisso com a verdade e a mentira, aqui elas não existem".

O que deixo aqui são frases baseadas no que vejo, pois existem tantas coisas para serem ditas na qual não sou o senhor juiz para colocá-las em julgamento como certas ou erradas, mas sou um artista para registrá-las na escrita, no movimento e no palco com o intuito de que fiquem registradas de algum modo no tempo e no espaço. Para que Fiquem.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Desejo de uma Noite

Alma agoniada de saudade
Vontade insaciada que me escapa o sono
Ao forte desejo de uma noite
Sem poder dormir grudado em teus braços

De um lado para o outro
Em meu colchão de solteiro
Ansiando e lembrando do gosto gostoso de teu gosto
Abraçado ao meu amassado travesseiro

Perco o sono, madrugada me custa a passar
Se ainda mandasse em meus sonhos
Só uma imagem me faria pensar

A noite que durmo grudado no aconchego de teu corpo
Na ansiedade do beijo que amanhã irei lhe dar

sábado, 9 de janeiro de 2010

Nada mais que Humano

Lado bom de ser apenas humano,
sem esforços para ser herói.
Sem lutar por uma causa que não é minha,
sem precisar ser aprovado o tempo todo por algo maior.

Nada mais que humano,
carne, osso, minhas vontades e só.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Uma reflexão - Notar a ausência.

"Viva de maneira que sua presença não seja notada, mas que sua ausência seja sentida".

Li essa frase em um site na web na página de uma pessoa muito próxima a mim, então comecei a refletir sobre ela, já que estava bastante inclinado a pensar e filosofar sobre qualquer assunto.
Creio ser difícil sentir a ausência quando a presença antes não é notada. O ser humano somente sente falta do que viu, tocou ou sentiu em sua vida de alguma maneira.
O homem sempre vai sentir falta daquilo que realmente o impacta, que mexem com ele e sempre sentirá a ausência das coisas que deseja ter ou já teve (vivido em tempo real ou em sonhos / pensamentos).
É de nossa natureza precisar ter próximos a nós tudo aquilo (ou boa parte) do que necessitamos ter e cada um sabe o bem que essas tais coisas fazem quando a temos.
Que os seus anseios ligados aos desejos de se ter próximos possa estar cada vez mais ligados a você.
Não é feio e nem errado desejar ter e sentir a falta do que queremos ter bem pertinho de nós. Somente assim a dor e o buraco de sua ausência será notada. Desejada para se ter novamente em algum momento, aquele bis e a insistência para viver outra vez aquilo que não se tem mais.

domingo, 3 de janeiro de 2010

"Sempre sou alvo de constantes batalhas, mas
certamente sou um alvo certeiro da felicidade.

Sempre existe um lado da vida que me faz sorrir".

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Saí de sua porta calado e contendo a raiva. Tudo passa.
Quando menos esperei, nessa manhã gelada a vida me presenteou com flores!

"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...
Ou toca, ou não toca".

Clarice Lispector.